Principal

Violência durante o carnaval – Polícia Militar registra 7 mortes

Imagem1-300x187A Polícia Militar registrou, até ontem, segunda-feira de Carnaval, sete assassinatos em Santa Rita, Bayeux, João Pessoa e Sapé. As primeiras mortes ocorreram já no início do feriadão, na madrugada do sábado.

Ontem, o ex-presidiário Erionaldo Vieira da Silva, 27 anos, foi assassinado com três tiros na principal rua do distrito de Forte Velho, em Santa Rita. A vítima morava na cidade de Cabedelo, mas estava na residência de parentes. A suspeita é que o crime tenha envolvimento com uma briga. A vítima já havia cumprido pena no Presídio Padrão de Santa Rita e também em um dos presídios da capital.

No domingo, mais um crime foi registrado. Desta vez, o caso ocorreu no bairro da Ilha do Bispo na comunidade Beco do Aratu, em João Pessoa. Um homem foi assassinado no local com golpes de martelo. Ele ainda foi amarrado com fios de eletricidade. A suspeita é que várias pessoas tenham participado do crime.

Ainda no domingo, a polícia foi acionada para apurar outro assassinado. Antoniel Alves da Silva foi morto enquanto dormia, com disparos na cabeça. Familiares confirmaram que o jovem tinha envolvimento com o tráfico de drogas. O caso ocorreu na Rua Oswaldo Cruz, no bairro da Imaculada, em Bayeux.

As primeiras mortes do feriadão ocorreram no sábado. Ainda pela madrugada, a polícia registrou um crime praticado com requintes de crueldade, na Avenida João Machado, próximo ao Cemitério Senhor da Boa Sentença, em João Pessoa. Augusto Mateus Pinheiro Cardoso foi encontrado morto com golpes de facão. O corpo trajava roupas femininas e aparentava possuir 25 anos. Segundo os peritos, o cadáver ainda foi arrastado por cerca de 30 metros deixando um rastro de sangue.

Na tarde de sábado, na cidade de Sapé, no bairro Cuba de Cima, na periferia da cidade, mais duas mortes foram contabilizadas. Dois irmãos estavam em um bar, quando dois homens chegaram armados de pistolas e efetuaram vários tiros contra eles. Um dos irmãos morreu na hora. Um dos atiradores também foi atingido. Ele foi socorrido ao hospital, mas faleceu. A arma usada nos crimes foi recuperada pela polícia. O motivo dos disparos ainda está sendo investigado pela polícia.

Ainda no sábado, a vendedora Maria do Socorro Conceição Alves, 51 anos, foi morta a tiros no bairro de Marcos Moura, em Santa Rita. Ela estava acompanhada de uma jovem, esperando o ônibus, quando alguns homens chegaram em um Fiat Uno prata e um dos homens fez disparos contra Maria. Ela foi atingida no tórax e cabeça e morreu no local.

CINCO HOMICÍDIOS EM CG E LAGOA SECA

O final de semana do Carnaval também foi marcado pela violência em Campina Grande e Lagoa Seca, no Agreste paraibano, com o registro de cinco assassinatos.

Em Campina Grande, Elias Pereira de Amorim, de 35 anos, morador do bairro do Glória II, foi alvejado com dois tiros, depois de ter negado bebida alcoólica aos dois suspeitos, conhecidos como “Júnior” e “Preá”, segundo informações da Polícia Militar.
O crime aconteceu na rua Joel Gonçalves, conhecida por um outro nome, a ‘Rua da Morte’. A expressão é depreciativa, mas confirmou um caso de violência por motivos banais. Na noite do último domingo, Elias bebia em companhia da esposa, Josefa Celmar Camelo, e do irmão (que não teve seu nome divulgado), dentro de casa, quando os dois conhecidos da família, “Júnior” e “Preá”, chegaram ao local pedindo uma dose de cachaça, que foi negada. Os suspeitos foram embora e pouco tempo depois, por volta das 20h30, retornaram e efetuaram vários disparos de arma de fogo contra o casal.

Elias foi alvejado com tiros que atingiram a cabeça, causando o óbito da vítima ainda no local do crime. Já sua esposa foi atingida com um tiro no braço esquerdo, sendo encaminhada ao Hospital de Trauma da cidade. Conforme a PM, foi a própria vítima que esclareceu o fato e confirmou que conhecia os suspeitos, que até o final da manhã de ontem não haviam sido encontrados. Na rua, os vizinhos não quiseram comentar sobre o fato e disseram que não haviam escutado nenhum tiro durante a noite do crime.

No mesmo dia e apenas uma hora depois, o servente de pedreiro Isaías Oliveira Ângelo, 23 anos, acabou sendo atingido por disparos de arma de fogo, depois de uma troca de tiros com a Polícia Militar. Conforme a PM, ele e outros homens estariam causando tumulto no distrito de São José da Mata, inclusive com disparos de arma pelas ruas.

Os homens foram denunciados pela população e, segundo informações da polícia, receberam os militares com mais disparos de arma de fogo. Durante a troca de tiros, o jovem foi atingido no tórax, sendo encaminhado para o Hospital de Trauma, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã de ontem.

JP

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios