Municípios

UTI do Hospital de Patos foi reaberta, mas CRM-PB cogita voltar a interditar

HospitalRegionalPatos-300x192O Hospital Regional Janduhy Carneiro, em Patos, teve sua Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) reaberta nesta sexta (19). De acordo com o responsável pelas fiscalizações do Conselho Regional de Medicina (CRM), Eurípedes Mendonça, o diretor técnico do hospital, Eliseu José de Melo Neto,  esteve em João Pessoa na quinta (18), se apresentou ao CRM e discutiu, em reunião com Eurípedes, a reabertura da UTI de Patos. Na sexta, Eliseu apresentou a escala de trabalho dos médicos intensivistas até o dia 30 de maio.

Mesmo assim, Eurípedes conta que ficou preocupado com outra coisa: ao entrar em contato com os médicos cujos nomes foram apresentados pela diretoria do hospital de Patos como os plantonistas do mês de abril, foi informado que muitos deles iriam deixar seus postos. “Alguns médicos estão dizendo que vão entregar o plantão, por diversos motivos. Desinterditei a UTI, mas estou com o coração na mão porque provavelmente precisarei interditar de novo. O CRM não vai admitir que a UTI de Patos volte a funcionar sem médico.”

Eurípedes diz, no entanto, que ficou preocupado em checar os dias em que já se tinha falta de plantonistas anteriormente, como a terça, na parte da manhã, e na madrugada de sábado para o domingo. De acordo com ele, os médicos escalados para esses dias e horários sempre faltavam.
“Eram pessoas que recebiam sem ir trabalhar. A pendência maior para interditar a UTI, que é a coisa mais importante em um hospital, é a falta de médicos. No momento que a direção do Hospital Regional de Patos nos comunicou que tinha plantonistas, a UTI foi reaberta”.

O responsável pelas fiscalizações do CRM relata que foi até Patos para checar novamente a situação do hospital e, lá, verificou que a sala vermelha, que era para estar vazia, estava mais cheia que a UTI. “Isso é um absurdo, a sala vermelha é para pacientes que estão para ir para a cirurgia ou para a própria UTI. A sala vermelha se transformou em UTI, que só tem seis leitos invariavelmente ocupados.”

Ele afirma também que, mesmo assim, é preciso dar um crédito de confiança à diretoria do hospital, que está responsável pela escala. “A nós não importa se os médicos trocarem seus plantões. Podem ser outros diferentes daqueles apresentados ao CRM semana passada. O que é importante é que a UTI não fique desassistida e que o médico de lá seja exclusivo, nada de colocar outros no lugar dele”, finaliza.

As UTIS do Hospital Regional de Guarabira e do Hospital Edson Ramalho, em João Pessoa, já foram reabertas na quinta (18) e na sexta(19), respectivamente. Com o mesmo procedimento, as diretorias apresentaram ao CRM as escalas dos médicos intensivistas. Mas, nesses hospitais, não há a ameaça de que a UTI volte a deixar de funcionar, de acordo com o responsável pelas fiscalizações do CRM.

O diretor do Hospital Regional de Patos, Eliseu de Melo Neto, não foi encontrado para falar sobre o assunto.

Bananeiras Online com G1

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios