Destaques

Supremo decide manter Lula preso e adia 2º processo

O primeiro pedido de liberdade ao ex-presidente Lula foi negado no início da noite desta terça-feira (25). A votação terminou em 4×1 contra o pedido de habeas corpus a Lula. Votaram contra os ministros Edson Fachin, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cármen Lúcia. Ricardo Lewandowski votou a favor.

Relator da Lava-Jato, o ministro Edson Fachin votou contra o pedido de liberdade do ex-presidente Lula e alegou que a defesa não apontou ilegalidade na decisão do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Felix Fischer, que havia negado sozinho um habeas corpus do ex-presidente. O Supremo deve voltar a analisar o caso no segundo semestre.

“É certo de a colegialidade é sempre desejável, recomendável e necessária. De qualquer modo, justa ou injusta, correta ou incorreta, a decisão tal como submetida se reveste de um proceder que está regimentalmente autorizado”,  disse Fachin.

Três ministros também vão votar em outro pedido de liberdade, que questiona a imparcialidade do ex-juiz Sérgio Moro no processo que condenou Lula.

Segundo julgamento

O segundo julgamento começou com o voto de Gilmar Mendes. O ministro votou para que o julgamento do habeas corpus fosse adiado, alegando que o caso é complexo e precisa ser bem examinado. Contudo, o ministro defendeu que o ex-presidente aguarde em liberdade até o fim do julgamento.

MaisPB

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios