policial

Reunião entre alunos grevistas e reitora da UFPB vai parar na delegacia

policialUma reunião que seria para tentar acabar com a greve de alunos do campus IV da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) acabou na delegacia na noite desta sexta-feira (16). Os estudantes que não participaram da reunião resolveram fazer uma manifestação do lado de fora da Reitoria. Segundo o Comando de Greve, um dos alunos foi atropelado pelo carro em que estava a reitora Margareth Diniz. Por outro lado, a reitora afirma que o carro oficial da universidade foi vandalizado e que ela foi xingada pelos manifestantes. As duas partes foram prestar queixa na Delegacia da Polícia Federal.

João Neto, aluno do curso de Design de Produtos e integrante do Comando de Greve, garantiu que a manifestação foi pacífica. “Eles estavam no estacionamento para que a reitora visse a manifestação quando saísse. Eles estavam segurando cartazes e gritando palavras de ordem”, contou.

Segundo João Neto, apenas quando a reitora foi sair é que houve problema. “Os carros dos pró-reitores saíram devagar, sem problemas. Quando o carro da reitora foi passar, o motorista deu uma arrancada. Uma menina que estava do lado bateu no vidro e um estudante de Ecologia caiu em cima do capô do carro. Ele acelerou de novo e o menino quase ia para debaixo do veículo, mas ele conseguiu cair de lado. Depois, ele saiu cantando pneu”, relatou.

O aluno e mais quatro testemunhas foram à delegacia para prestar depoimento. Segundo nota oficial do Comando de Greve, o estudante teve escoriações na mão, no joelho, ombro e também uma lesão no olho. Ele fez um exame de corpo de delito no Instituto de Polícia Científica (IPC) e o laudo deve sair em um período de 15 dias.

Margareth Diniz, por sua vez, relatou que houve vandalismo na manifestação. “Eu estava na garagem, o carro não tinha nem condições de se movimentar. Eles danificaram o carro oficial da universidade com murros e pontapés e falaram palavrões do mais baixo calão para uma pessoa que é reitora de uma universidade”, comentou.

Segundo ela, o carro foi deixado na Delegacia da Polícia Federal para ser periciado. Ela prestou queixa contra os alunos por desacato a autoridade, assédio moral e agressão física e acrescentou que deve tomar providências jurídicas na segunda-feira.

Sobre o aluno que supostamente foi atropelado, ela disse que ele mesmo subiu no capô do carro, escorregou e acabou se machucando. “Fizemos uma reunião bem sucedida em que 90% das reinvindicações foram atendidas. Deram um murro no vidro do carro que se tivesse quebrado teria estourado o meu rosto. Eu ainda fui para o hospital, passei mal, fiquei com a pressão alta. Mas para mim isso não é nada, é a indignação pelo que aconteceu”, disse a reitora.

Greve dos alunos
Os alunos do campus IV da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), nas cidades de Rio Tinto e Mamanguape, no Litoral Norte, estão em greve desde o dia 10 de julho. Entre as reinvindicações está o pedido por melhor estrutura e mais atenção para o campus. Uma das principais pautas do movimento é o funcionamento do Restaurante Universitário em Mamanguape.

Com G1PB

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios