Paraíba

PRF apreende 149 animais na pista em 5 dias; 2013 registrou 181 acidentes e 1,2 mil apreensões

Animais na pista
Animais na pista

A Polícia Rodoviária Federal na Paraíba apreendeu nos últimos quatro anos 5.197 animais perambulando pelas rodovias federais que cortam o estado. No ano passado foram 1.237 animais capturados. A situação perigosa resultou em 181 acidentes.

Desde segunda-feira (10), a PRF vem realizando a operação “Pista Não É Pasto” para retirar os bichos das nove rodovias e evitar acidentes. Somente de segunda até esta sexta-feira (14) foram apreendidos 149 animais entre cavalos, jumentos e bois nos trechos paraibanos das BRs 101, 104, 110, 116, 230, 361, 405, 412, 426.

O alerta para que os proprietários de animais recolham seus bichos e evitem que eles fiquem soltos é reiterado, principalmente porque os acidentes desse tipo têm consequências graves.

O inspetor Genésio Vieira informou que os trechos onde mais ocorreram apreensões foram as regiões metropolitanas das grandes cidades. Em João Pessoa, ele cita o trecho da BR 230 de Cabedelo, Bayeux e Santa Rita. Em Campina Grande, o trecho que compreende o município de Riachão do Bacamarte; em Patos, próximo a Malta, Condado e Pombal; e em Sousa, próximo ao município de Aparecida.

Genésio informou, ainda, que os animais recolhidos pelas equipes da PRF são encaminhados para os municípios que os abrigam e aplicam as multas aos proprietários.

Ele contou que desde o início do ano passado, os proprietários quando vão resgatar os animais têm que passar pelas delegacias de polícia, porque o caso passou a ser contravenção.

Mesmo assim, não foi registada uma diminuição no número de apreensões. Em 2010, foram apreendidos 1.435 bichos soltos nas pistas. Em 2011, foram 1.103; em 2012, foram contabilizados 1.422 e em 2013, ano em que os proprietários passaram a prestar depoimento na delegacia, os números não diminuíram muito. Foram 1.237.

“Apesar da multa, do trabalho de conscientização que é feito pela PRF junto aos donos dos animais e das informações sobre perigos de acidentes que são repassadas pela imprensa, os números continuam muito altos”, analisou.

Seca faz apreensões aumentarem

Outra análise feita pela PRF, diz respeito às regiões que sofrem com a seca. Nessas áreas que sofrem com a estiagem ocorre uma incidência maior porque os proprietários, por falta de pastos para alimentar o gado, acabam soltando os bichos para procurar comida e tentar sobreviver.

Genésio explicou também que mesmo nos locais onde ocorrem as chuvas, os bichos também procuram o asfalto para se proteger do frio. “A pista, geralmente, é um local aquecido, por isso os animais a procuram quando a terra está fria e úmida”.

O inspetor da PRF orientou os usuários das BRs a prestarem muita atenção quando estiverem trafegando pelas rodovias. Ele recomendou que os limites de velocidades não sejam ultrapassados.

“A velocidade é muito importante num caso desse porque ela pode permitir que o motorista tenha tempo de fazer uma manobra que evite o acidente, por isso ela é um fator muito importante”, ratificou.

 

Portal Correio

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios