policial

Presos realizam rebelião na cadeia pública de Areia; três detentos ficam feridos

Apenados reivindicavam presença do juiz e da imprensa, melhores condições e revisão de penas

cadeiaA cadeia pública da cidade de Areia perdeu o clima pacato de tranqüilidade, na noite desta sexta-feira (08), e virou palco de uma grande rebelião dos detentos, que se uniram para cobrar das autoridades competentes melhores condições, visita íntima, banho de sol e ainda a revisão das penas.

Uma das principais reclamações dos presos diz respeito à expiração das condenações, que, segundo eles, já teriam sido cumpridas, porém, o alvará de soltura não foi expedido, enquanto isso eles são penalizados com a ampliação das penalidades.

As primeiras informações davam conta que agentes penitenciários teriam sido feitos reféns e um detento já estaria morto, mas a informação foi descartada.

Segundo o radialista Nelson Almeida, o peso pesado da notícia, que foi chamado até o local como uma exigência dos rebeldes, que queriam a publicização das reivindicações na imprensa, apenas três presos, acusados do crime de estupro, foram feitos reféns pelos demais detentos e acabaram sendo espancados, mas foram soltos após negociação com a polícia e socorridos por profissionais do Samu

A rebelião terminou após horas de tumulto. Os rebelados exigiam a presença do juiz da comarca local para discutir sobre a progressão das condenações.

Os detentos informaram que caso as melhorias não cheguem, uma nova rebelião será realizada no local, e dessa vez com maiores proporções.

Policiais de Guarabira e das redondezas estiveram no local, juntamente com a força tática, para reforçar o efeitivo e por fim à rebelião.

Populares e familiares dos detentos se amontoaram na frente da unidade para assistir de perto a ação da polícia e o desfecho da ação.

Nenhuma morte foi registrada

VEJA IMAGENS

Márcia Dias

PB Agora

Fotos: Vital Filho e Gilmar Batista

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios