Paraíba

Presos na operação ‘Rota 171’ estavam com cheques clonados da Cagepa

Caminhoeiro preso em João Pessoa
Caminhoeiro preso em João Pessoa

A Polícia Civil da Paraíba prendeu mais seis pessoas envolvidas na quadrilha de caminhoneiros que clonava cheques e passava calotes em postos de combustíveis e estabelecimentos comerciais em vários estados brasileiros. As prisões ocorreram em Pombal-PB (2) e na cidade de Bataguaçu-MS (4). Com essas prisões já somam 11 detidos na Operação ‘Rota 171’ deflagrada nesta quinta-feira (15).

De acordo com o delegado da Polícia Civil, Francisco Iasley, que comandou as investigações, Juracy Dias do Nascimento e José Marinaldo Bezerro foram presos em Pombal, após interceptações telefônicas que apontaram a participação deles nos golpes.A dupla estava com dezenas de cheques clonados da Cagepa.

“A dupla estava aplicando o golpe nas cidades paraibanas de São Bento, Pombal e Paulista, com cheques clonados da Cagepa. Os dois foram detidos em flagrante na semana passada e seriam soltos nesta quinta (25). Mas, comunicamos o caso ao juiz de Pombal e o magistrado decretou a prisão preventiva deles”, disse o delegado, acrescentando que a dupla estava portando R$ 3.200 em espécie.

O delegado informou que os presos na Paraíba durante a operação estão recolhidos no Presídio Serrotão, em Campina Grande. “As investigações continuam e mais pessoas poderão ser presas a qualquer momento”.

 

Nesta quinta-feira (25), quatro caminhoneiros foram presos nos estados da Paraíba, Minas Gerais e São Paulo, acusados de integrar uma quadrilha de clonagem de cheques. As prisões ocorreram durante a ‘Operação Rota 171’, deflagrada pelas policias Civil, Rodoviária Federal e Ministério Público da Paraíba (MPPB). De acordo com o delegado de Defraudações da Polícia Civil, Francisco Yaslei, a quadrilha causou prejuízo de mais de R$ 1 milhão.

Os mandados de prisão foram cumpridos em João Pessoa (1), Campina Grande (1), Betim-MG ( 1) e São Paulo (1), conforme informou Francisco Yaslei. Na Capital paraibana, a prisão ocorreu no bairro dos Bancários.

Cerca de 80 policiais civis da Paraíba, do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado do Estado de São Paulo (Deic-SP) e da Polícia Rodoviária Federal participam da operação para dar cumprimento aos cinco mandados de prisão preventiva e aos seis mandados de busca e apreensão expedidos pela 3a Vara Criminal de Campina Grande-PB.

Segundo o delegado, as investigações começaram após um caminhoneiro aplicar um golpe em um posto de combustíveis em Campina Grande. “Com a fraude no Posto Millenium, a gente começou a investigar e contatamos que a quadrilha estava enraizada em outros estados, mas a raiz era aqui na Paraíba”.

Após meses de investigações, a Polícia Civil da Paraíba identificou o modus operandis da quadrilha e a operação foi montada. “Eles recebiam os cheques legais dos contratantes, em seguida, os cheques eram enviados para São Paulo onde era feita a clonagem do documento. Com os cheques falsos, eles iam nos postos de combustíveis e estabelecimentos comerciais e aplicam o golpe. Em alguns casos, eles recebiam o troco em dinheiro devido o valor alto do cheque”, comentou Francisco Yaslei.

Portal Correio

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios