Paraíba

PMCG não cede e alunos de Campina Grande podem perder ano letivo; Romero não cumpre promessa, diz sindicato

20130419172031_03A greve de servidores e professores da rede municipal de Campina Grande continua sem data para terminar, é o que afirma o Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agresta da Borborema (Sintab). Segundo a entidade, a proposta da Prefeitura é ‘começar’ a avaliar as reivindicações ‘apenas em agosto’. Sem acordo, o sindicato não descarta que a greve (iniciada em 18 de março) pode se prolongar até lá, deixando 20 mil alunos sem aula.

“Dos 16 municípios com atuação do nosso sindicato, apenas em Campina Grande que foi preciso fazer greve”, afirmou o presidente do Sintab, Napoleão Maracajá.

De acordo com o sindicalista, os professores, inclusive, já propuseram o parcelamento do reajuste, mas a Prefeitura não acatou a proposta.

Promessa de campanha – Napoleão Maracajá explica que o que vem revoltando os servidores – além da remuneração defasada – é que o atual prefeito, Romero Rodrigues (PSDB), assinou um documento durante a campanha se comprometendo a atender as reivindicações da classe e agora não está mostrando muito interesse em cumprir.

Na última quarta-feira os servidores decidiram pela continuidade da greve.

Uma nova assembléia esta agendada para a segunda-feira.

MaisPB 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios