Paraíba

Paraíba aumenta número de transplantes de córnea, mas ainda tem fila

CórneaO número de transplantes de córnea na Paraíba quase dobrou entre janeiro e agosto de 2013, se compararmos com o mesmo período do ano passado. Os dados são da Central de Transplantes da Paraíba e mostram que no ano de 2012 foram realizados 57 transplantes de córnea no estado. Já em 2013 foram 107 procedimentos, mas apesar desse aumento a lista de espera para receber uma córnea é de 145 pacientes.

 

Em todo o país começa nesta segunda-feira (23) a ‘Semana Nacional de Doação de Órgãos’ que pretende estimular a doação com a realização de atividades educativas e de conscientização.

 

Os dados da Central de Transplantes apontam ainda para um discreto aumento nos transplantes de rins durante o mesmo período, passando de 19 para 23, no caso de doador cadáver e de 15 para 16 no caso de doador vivo.

 

A diferença entre os dois tipos é que o doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado e parte da médula óssea, caso esteja saudável e concorde com a doação, neste caso parentes até quarto grau e cônjuges podem ser doadores, os não parentes só podem doar com autorização judicial.

 

O doador cadáver é o paciente de UTI com morte encefálica comprovada. Neste caso, a remoção dos órgãos e captação para transplante depende da autorização familiar.

 

Alista de espera atualizada no dia 18 deste mês, mostra que há um total de 326 pacientes esperando por um transplante de rim na Paraíba. Segundo a chefe de Ações Estratégicas da Central de Transplantes da Paraíba, Myriam Carneiro por mais que os hospitais tentem suprir a demanda, ninguém vai conseguir zerar uma fila de transplante de rim.

 

“O nosso sonho é conseguir dar conta pelo menos de grande parte da demanda. Mas a gente só vai conseguir se a população doar”, comentou.

 

Segundo ela, enquanto 29 recebem o órgão em seis meses, cerca de 100 pacientes ingressam na lista de espera no mesmo período. No Brasil, para ser doador não é necessário deixar nada por escrito, em nenhum documento, basta comunicar a família do desejo de ser doador, a doação de órgãos só acontece após autorização familiar.

Fonte: G1PB

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios