Paraíba

Paraíba abre mais de 10 mil empresas em seis meses

Imagem Ilustrativa
Imagem Ilustrativa

No primeiro semestre deste ano, foram criadas 10,967 mil novas empresas na Paraíba, segundo dados da Junta Comercial do Estado da Paraíba (Jucep). Este número representa um crescimento de 8,47% quando comparado ao mesmo período do ano passado, em que foram instalados 10.110 empreendimentos. O Microempreendedor Individual (MEI), figura jurídica simplificada que se abre pela internet, gratuitamente, concentrou 70,82% das novas empresas abertas.

Das 10,967 mil empresas que surgiram no último semestre, 7,740 mil são do MEI. No ano passado, os microempreendedores individuais criaram 6.870 negócios nos primeiros seis meses, o que representou 67,95% de todos os empreendimentos abertos. Vale lembrar que o MEI, que é de baixo custo, tem um teto para faturamento de até R$ 60 mil/ano. Os dados da Jucep mostram ainda que o crescimento desta categoria de negócio foi de 12,66% neste semetre sobre o ano passado.

Já a abertura de microempresas e de empresas de pequeno porte apresentaram um pequeno recuo no primeiro semestre de 2,94% (caindo de 2,618 mil para 2,541 mil). O movimento de abertura de filiais também apresentou queda de 5,24% no semestre. Foram abertas 452 novas filiais este ano, até junho, contra 477 no mesmo período do ano passado.

O presidente da Jucep, Aderaldo Gonçalves, afirmou que as obrigações tributárias, fiscais e contábeis para o MEI são bem menores do que para os demais empreendedores e isso gera uma maior participação deste segmento no mercado e expansão a cada ano. “Isso tem o lado bom e o negativo. Por um lado, com a criação do MEI o pessoal está saindo da informalidade e, por outro, esta participação de microempreendedor individual gera pouca arrecadação de tributos para os municípios e o Estado”, enfocou.

Aderaldo Gonçalves avalia que se os MEIs não evoluírem de categoria, o número de novos postos de trabalhos também ficam restritos na Paraíba. O MEI só pode ter um funcionário.

Já o economista Rafael Bernardino afirmou, porém, que só observa aspectos positivos na inserção cada vez maior de MEIs no mercado. “De fato, está havendo um incentivo à formalização dos negócios e a legislação é mais compatível com a realidade dos pequenos negócios. Há um movimento de formalização”, afirmou.

 

Jornal da Paraiba

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios