Paraíba

Falta de profissionais e de alvará fecha duas academias em João Pessoa

2Uma operação conjunta do Conselho Regional de Educação Física (CREF), corpo de Bombeiros e Procon de João Pessoa fechou pelo menos duas academias de João Pessoa que funcionavam sem profissionais de educação física e sem alvará.

De acordo com informações de Eleabe Chaves, que integra a equipe de fiscalização do Procon da Capital, as academias funcionavam irregularmente nos bairros de Mangabeira e Valentina Figueiredo, na Zona Sul da cidade.

“Nas duas academias estavam faltando profissionais registrados junto ao Conselho Regional de Educação Física e numa delas não havia alvará de funcionamento que também é adquirido junto ao Conselho”, explicou.

Foram visitadas cerca de 20 academias nos bairros dos Bancários, Valentina e Mangabeira, Cabo Branco, Tambaú, Manaíra e Bessa. Outro dado impressionante é que em todas elas as equipes de fiscalização tiveram que emitir notificação pedindo para que irregularidades fossem sanadas e dando prazo para que as academias se adequem às normas de funcionamento.

Além da falta de profissionais e de alvará, que são irregularidades graves que levam ao fechamento dos estabelecimentos, foram feitas notificações para falta de informações sobre preço, normas de funcionamento e falta de equipamentos de segurança contra incêndios em todas as casas visitadas.

Eleabe explicou que é necessário que a população contribua exigindo que a academia cumpra as normas e funcione dentro da regularidade porque trata-se de uma questão que envolve a saúde do consumidor.

“Procurem sempre aquelas academias que tenham profissionais com registro junto ao CREF, que tenham licença para funcionar, entre outras normas, porque o que está em jogo é a saúde e se houver uma má avaliação, os exercícios podem comprometer a saúde, levando até a atrofia dos músculos e outros danos que podem ser irreparáveis”, alertou.

O fiscal do Procon informou que existem em João Pessoa aproximadamente 50 academias funcionando com o registro do CREF, mas existem também aquelas que têm o registro do Sindicato dos Profissionais de Educação Física.

No entanto, ele acrescentou que apesar da fiscalização dos órgãos ainda existe um número significativo de academias que funcionam de forma irregular e para combater a prática que põe em risco a saúde dos consumidores, o órgão recomenda que as pessoas denunciem esses estabelecimentos e sempre procurem os que são regularizados, e que ofereçam o acompanhamento de profissionais registrados.

Portal Correio

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios