Paraíba

Decisão judicial pode tornar paraibano de 14 anos o mais jovem do Brasil no ‘3º Grau’

20130526093639_03O estudante paraibano Paulino José, de 14 anos, pode ser o mais jovem estudante universitário do país. Ele foi aprovado no curso de Engenharia Civil da Unipê, e aguarda apenas uma liberação judicial para poder cursar.

Apesar da conquista surpreendente, Paulino explicou que seu interesse mesmo é estudar Engenharia do Petróleo, mas pela ausência do curso na capital, decidiu prestar vestibular para Engenharia Civil por considerar um curso muito bom e com grande mercado de atuação. Estudando no 3º ano do ensino médio do Colégio João Paulo II, sob os olhares atentos da sua avó e diretora do colégio, Dona Therezinha, Paulino começou muito cedo na escola “Quando fazia o pré II, já sabia ler e escrever. Então, minha mãe achou melhor que não fizesse a alfabetização e passei direto para o 2º ano. Quando já estava no 8º ano, fiz o Avanço em Séries e passei direto pro Ensino Médio” – explica o estudante. O Avanço em séries realizado pelo colégio, dá direito ao estudante que duranto o 8º ano tenha tirado média superior a 8, realiar uma prova do 9º ano, e caso obtenha a média esperada, pular direto para o 1º ano do Ensino Médio.

Os professores são unânimes em falar sobre a dedicação e inteligência de Paulino. “É um aluno fera, dos melhores. Só tira 10″ comenta o profesor Dawison de matemática. Além do avanço em séries promovido pelo João Paulo II, Dona Therezinha exalta o corpo discente do colégio, que sempre busca estimular e motivar os alunos a se dedicarem mais aos estudos, incentivando o aprendizado. “Espero que essa aprovação se torne um precedente e que ele seja liberado para cursar já em agosto. Isso influenciaria os jovens a estudar ainda mais e valorizar os estudos, vendo que é sim possível ingressar no ensino superior, mesmo com a pouca idade. Se os jovens dedicassem um pouco mais do tempo que gastam navegando na internet para adquirir mais conhecimento, iriam entrar cada vez mais cedo na faculdade, concluindo antes mesmo dos 20 anos, o que seria maravilhoso para o futuro profissional”, explica Dona Therezinha.

No começo do ano Paulino prestou vestibular para Marketing na Inper, onde também foi aprovado, mas não pôde cursar pela exigência do certificado de conclusão do ensino médio. A família já está em contato com a Unipê, buscando que tudo ocorra da forma mais pacífica possível, de forma a não pressionar o estudante, e tenta a liberação para que seja possível cursar já no mês de agosto, para quando foi aprovado. Caso isso não aconteça, tenta garantir a vaga do estudante para o próximo ano, quando já terá concluído o ensino médio. “O certificado é o maior problema. Estamos tentando conseguir essa liberação, ou no máximo conseguir a garantia da vaga para o próximo ano, já que pela idade não é possível realizar a prova do supletivo”.

Perguntado sobre sua rotina, Paulino disse estudar em média 3 horas por dia além do tempo que passa na escola, de forma a revisar o conteúdo do dia. Nas segundas-feiras, faz aulas de inglês – que estuda desde os 6 anos. Já sobre o período de lazer, disse que praticava futsal até o ano passado, mas decidiu se dedicar ainda mais aos estudos esse ano, porém, reserva umas horas por dia para se divertir.

Redação

Espaço Moçada

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios