Educação

Conselho Tutelar teme por vida de jovem chicoteado em Dueré

201308130652380000008048O Conselho Tutelar de Dueré, no sul do estado, está preocupado com a vida do adolescente de 16 anos, que foi chicoteado por um comerciante na sexta-feira (9). Ele não está mais na casa do pai, desde que foi registrada a ocorrência na Central de Flagrantes de Gurupi.
“Hoje [terça-feira, (13)] fomos até a casa do pai e ele nos relatou que o menino nem quis ficar em casa. O pai não sabe por onde ele anda”, diz a conselheira tutelar, Josefa Coelho, ressaltando que o jovem tem várias passagens pela polícia. ” A vida dele está por um fio. Estamos preocupados”, observa, dizendo que estão providenciando um ofício para a promotoria da Infância e Juventude de Gurupi para que consigam uma internação para o jovem que é também usuário de drogas.
Segundo Josefa, o jovem mora com o pai e a madrasta. Depois que a mãe dele morreu, o adolescente teria morado com um homem que está preso por estupro de uma criança. “Ele tem uma passagem triste”, relata, contando que o rapaz vive mais tempo sumido do que em sua casa. “Ele não tem um ponto referencial.”
O caso será investigado pela polícia de Gurupi, no sul do estado. Segundo o delegado João Batista Veloso do Carmo, que responde pelo município de Dueré, até o momento apenas o jovem foi ouvido e, conforme informações da vítima, ele teria sido sequestrado e torturado.
Em depoimento, o jovem afirma que dois homens o teriam amarrado pelos pés e pelas mãos e o agredido em uma estrada de chão. Ele ressalta ainda que, o suspeito é um comerciante que o acusa de furto. A ocorrência foi registrada pelo pai da vítima.
De acordo com a conselheira, foi a irmã do jovem que fez a denúncia junto ao Conselho Tutelar. “Acionamos a polícia, fomos até o hospital e ele foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), só depois fomos à delegacia”, conta, dizendo que o jovem estava muito machucado. “Ele estava muito estragado.”
O nome do comerciante suspeito das agressões não foi divulgado, mas conforme informações da polícia ele é conhecido na cidade e o que o motivou à agressão foram os furtos ao seu comércio, que teriam sido feitos pelo menor. O delegado não deu prazo para que as investigações sejam concluídas.

G1.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios