Municípios

Caminhos do Frio deve injetar R$ 2 milhões na economia da PB

Bananeiras-noite-linda-Bello-300x199O interesse pela gastronomia, atrativos históricos e culturais, visitas aos engenhos e zona rural do sete municípios do Brejo paraibano deve movimentar R$ 2 milhões entre os dias 14 de julho e 31 de agosto. Esse volume vai ser movimentado pela circulação de cerca de mil turistas por semana na Rota Cultural Caminhos do Frio 2014 que passará pelas cidades de Areia, Alagoa Grande, Alagoa Nova, Bananeiras, Pilões, Serraria e Solânea, segundo a gestora de turismo do Sebrae-PB, Regina Amorim.

Durante sete semanas, os visitantes devem aquecer a região com hospedagem, alimentação, entretenimento em bares, além da aquisição de artesanato e até consumo de combustível durante o evento, realizado pelo Fórum de Turismo do Brejo Paraibano com o apoio do Sebrae. “Mesmo após a semana em uma cidade como Areia, muitos turistas permanecem lá, mas visitam a cidade que recebe a rota Cultural Caminhos do Frio por conta da comodidade já adquirida com a hospedagem”, frisou.

Com temperaturas mínimas que têm variado entre 12ºC e 18ºC, a região do Brejo paraibano concentra parte considerável dos engenhos de cana-de-açúcar da Paraíba, segundo Regina Amorim, o que torna-se um atrativo importante para a região. Aliado ao patrimônio histórico e recursos naturais, a região  possibilita o turismo de vivência, em que o turista sai da posição contemplativa e interage com a população local e é sensibilizada a entender a forma de vida e os meios de produção.

Areia, cidade fundada no século XIX mas que existia como povoado desde 1648, é uma das referências do turismo de experiência, segundo Regina Amorim. É por ela que começa a rota com o Festival de Artes de Areia, que movimentará a cidade serrana com atividades artísticas.

Turismo de Experiência
Na região de Areia, o destaque é a cultura com os grupos culturais e folclóricos, os casarios históricos da terra de Pedro Américo, autor do quadro conhecido como ‘Grito do Ipiranga’, e os engenhos de cana de açúcar. “O turista não quer ser mais mero contemplador. Ele quer fazer uma cavalgada com os moradores ou participar de uma oficina de flores de fuxico e depois tomar café na varada da casa das artesãs”, explicou.

Para os turistas, segundo Regina Amorim, há opções de desfrutar da gastronomia de Bananeiras que inclui vários pratos com banana, um produto com forte produção no município, além da cachaça, o mel de engenho e a tilápia.

A 143km de distância da capital, Alagoa Grande abriga os memoriais do cantor e compositor Jackson do Pandeiro e da líder sindical Margarida Maria Alves. Nela, estão também um conjunto de engenhos e o Caiana dos Criolos, um remanescente de quilombo na zona rural da cidade. As flores, a banana e o turismo rural em assentamentos são os fortes atrativos da cidade de Pilões.

Melhoria da infraestrutura de acesso à região divide opinião
A qualidade dos acessos aos sete municípios que integram a Rota Cultural Caminhos do Frio é um dos principais questionamentos que a empresária Maria Júlia Baracho tem feito. Segundo ela, tanto a sinalização turística quanto a qualidade das estradas precisam melhorar. “Vindo de João Pessoa para Areia não tem uma placa indicativa. Eu já cansei de pedir apoio nessa divulgação, Infelizmente, a gente vai e paga pela instalação de outdoor e faz o papel do governo”, disse.

Cidade Distância de João Pessoa
Alagoa Grande 86,17km/h
Pilões 119km/h
Serraria 136km/h
Areia 138km/h
Bananeiras 141km/h
Alagoa Nova 143km/h
Solânea 143km/h

A gestora em turismo do Sebrae, Regina Amorim, ponderou que a preocupação da empresária com  que o acesso às cidades que integram a Rota Cultural Caminhos do Frio é justa e pode resultar em mais segurança para os turistas. “Eu diria que o acesso poderia ser melhor, inclusive, com sinalização indicando os alertas para os condutores porque a área tem curvas, chove muito, tem nevoeiro e o turista precisa ter a noção da qualidade da estrada”, disse.

Por outro lado, há um lado positivo nessa responsabilidade que os empresários assumem para si, aponta Regina Amorim. “Investir em divulgação é um fator positivo para qualquer empreendimento. Na realidade, são empreendedores investindo em promoção de empresas deles”, contou. Regina Amorim explicou que os acessos das cidades de Alagoa Grande e Pilões, por exemplo, melhoraram. “Melhorou, inclusive, na sinalização”, disse. O G1 tentou entrar em contato com o secretário de Estado do Turismo e Desenvolvimento Econômico, Renato Feliciano, mas não obteve êxito.

 com G1PB

Artigos relacionados

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios