Destaques

Após ser preso, João Paulo Cunha renuncia ao mandato de deputado

1O deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), condenado na ação penal do mensalão, renunciou na noite desta sexta-feira (7) ao mandato. A carta de renúncia foi protocada na Câmara dos Deputados por volta das 20h20. No texto, o petista afirma que desiste de manter o cargo “com consciência do dever cumprido e baseado nos preceitos da Constituição Federal”.

O petista ainda cita na carta uma frase do escritor e jornalista cubano Leonardo Padura: “a dor e a miséria figuram entre aquelas poucas coisas que, quando repartidas, tornam-se sempre maiores”.

Desde terça (4), o petista está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília já que foi condenado em dois dos três crimes nos quais foi julgado no Supremo Tribunal Federal – peculato e corrupção passiva.

Apesar disso, durante esta semana, Cunha deu demonstrações de que não iria renunciar, mas foi aconselhado por pessoas próximas a mudar de ideia, pois o desgaste seria grande tanto para ele como para partido. Antes de ser convencido a abandonar o posto, o agora ex-deputado chegou até a entrar com pedido na Vara de Execuções Criminais de Brasília para trabalhar na Câmara.

Entenda

Cunha era presidente da Câmara dos Deputados à época do escândalo de compra de apoio político no Congresso durante o primeiro mandato do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro e começará a cumprir apenas a parte da pena que já transitou em julgado: 6 anos e 4 meses. Ainda existe possibilidade de recurso, os chamados embargos infringentes, contra a condenação por lavagem de dinheiro, o que pode reduzir a pena total do parlamentar.

Ig

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios