Principal

Após constrangimento no RN, Dilma amarga outra vaia ao lado de ministro no Paraná

04102013170905Em evento com a presidente Dilma Rousseff, o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) foi vaiado por funcionários dos Correios nesta sexta-feira (4), em Campo Mourão (noroeste do Paraná).

Os trabalhadores da estatal, subordinada ao ministério, estão em greve há 17 dias. Eles reivindicam aumento real de 15% e reclamam de “intransigência” da empresa, que diz só poder oferecer 8% de reajuste.

Bernardo, que foi ao evento mas não discursou, foi vaiado ao ser mencionado pela presidente, que entregava 179 máquinas a prefeituras do Paraná, entre retroescavadeiras, caminhões-caçamba e motoniveladoras.

Um grupo de cerca de 30 carteiros, uniformizados, além de vaiar o ministro, levantou os braços em forma de protesto e gritava frases como “escuta nós” e “vamos conversar”.

Dilma saiu em defesa de Bernardo. “Eu vou pedir para vocês não vaiarem o Paulo Bernardo, mas vocês não me vaiem, hein?”, afirmou. A presidente teve seu pedido atendido.

“Eu sempre apoio uma manifestação. Mas eu estou pedindo [para cessarem as vaias] porque nós estamos aqui num momento de confraternização”, disse Dilma.

O governador Beto Richa (PSDB), que discursou antes de Dilma, também foi vaiado ao ser anunciado. Durante sua fala, porém, não houve novas manifestações. A petista não fez referência a esse episódio em seu discurso.


Folha

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios