policial

Adolescente tatuava um fantasma para cada morte cometida; já tinha 7 desenhos nas costas

Menor detido em João Pessoa
Menor detido em João Pessoa

Um adolescente de 15 anos foi detido nesta terça-feira (22), na comunidade Nova República, no bairro do Geisel, em João Pessoa, acusado de sete homicídios. De acordo com o tenente Vinicius Matias (comandante da UPS do Geisel), o menor confessou a autoria dos crimes. A PM informou que, por cada morte cometida, o menor tatuava a figura de um fantasma nas costas.

Nas costas dele, tinha um bruxo e ao redor desse desenho sete fantasmas, que simbolizavam as mortes cometidas por ele e muitas vezes com requintes de crueldades. O adolescente disse que os assassinatos foram cometidos nos bairros do Cristo Redentor (2), Funcionários II (1), Colinas do Sul (1), Mangabeira (1) e dois no município do Conde (no Litoral sul da Paraíba, região metropolitana de João Pessoa).

O comandante do 5º batalhão da PM, coronel Lídio Delgado, revelou que o menor sente prazer de contar os detalhes dos crimes cometidos. O policial considera o adolescente “extremamente violento” e disse que ele integra uma gangue que mantém uma rixa por disputa de poder na comunidade. No momento da prisão, o acusado portava um revólver calibere 38.

A equipe de policiais, comandada pelo tenente Matias, conseguiu localizar e apreender o acusado após investigação da Unidade de Polícia Solidária do bairro. “A gente vinha monitorando o menor. E quando ele estava na companhia de um amigo identificado como sendo Ronicardo Lima da Silva, 18 anos, fizemos a apreensão dele”, disse o policial, acrescentando que Ronicardo também foi detido.

O menor foi encaminhado para a Delegacia do Menor Infrator, na Capital, onde deverá ser encaminhado para o Centro Educacional do Adolescente (CEA). Ronicardo Lima detido foi liberado, após prestar depoimento. “O jovem de 18 anos foi liberado porque ele não estava com nenhum flagrante. Mas, ele também tinha a tatuagem com seis fantasmas no corpo”, disse o tenente.

Durante entrevista ao repórter Samuka Filho ( TV Correio),  o menor infrator revelou: “Vou para o CEA engordar”.

De acordo com o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), mais de 2 mil processos tramitam no judiciário paraibano referentes a atos infracionais cometidos por menores paraibanos. Os processos envolvem tráfico de drogas, assaltos e homicídios.

 

Por Hyldo Pereira

Portal Correio

Artigos relacionados

1 pensou em “Adolescente tatuava um fantasma para cada morte cometida; já tinha 7 desenhos nas costas”

  1. Não existe sentido algum, simplesmente um menor cometer um crime que se enquadra nos artigos 121 e 129 e denomina-los como menor infrator.Para mim todo crime é considerado como crime.Portanto não entendo que só o maior de idade é considerado assassino, bandido ,homicida, e contempla quem pratica o mesmo crime, enquadrados nos mesmos artigos com essa palavra vergonhosa como infrator.Esse termo sabemos que e´usado nos esportes como futebol, futsal e etc.Pelo crime que comete esses menores são bandidos,delinquentes, assassinos iguais aos de maiores.Essa é a maneira que mais tem estimulado a permanecer matando como sempre, eles estão fazendo isso porque á lei os ampara.Isso é uma vergonha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios